fevereiro 6, 2018

AGORA É A HORA DE BARRAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA! Se botar para votar o Brasil vai parar!

AGORA É A HORA DE BARRAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!
Se botar para votar o Brasil vai parar!

David Romão Teixeira – presidente da APUR
Amargosa, 05 de fevereiro de 2018

Colegas da UFRB, mal chegamos do recesso e é necessário que participemos efetivamente da jornada de lutas contra a Reforma da Previdência, que terá no dia 19/2 -greves, paralisações e lutas por todo país- convocada pela CUT e demais centrais sindicais, numa preparação de uma Greve Geral, com o recado que Se botar para votar o Brasil vai parar! A APUR, junto com outros sindicatos da região, está organizando atividades públicas no Recôncavo, assim, a participação de todos os professores será decisiva nesta luta, ou reagimos com força agora ou sofreremos uma grande perda histórica.

Não resta nenhuma dúvida sobre o retrocesso social que significa a Reforma da Previdência do governo golpista de Temer (PMDB/PSDB/DEM), não é a toa a dificuldade deles de conseguirem deputados que queiram apoiar esta reforma, mesmo o governo despejando dinheiro público e distribuindo cargos.  Nossa tarefa é acentuar estas dificuldades até a retirada da proposta do plenário da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ) já ameaçou hoje a retirada por falta de votos.

Em 2017, a CPI do Senado e vários estudos desnudaram a falácia do déficit da Previdência, o que se identificou foi uma enorme sonegação das grandes empresas e dos governos. Mesmo assim, Temer insiste em sua saga de destruir os direitos dos trabalhadores o mais rápido possível, este foi o seu pacto para o golpe, depois da CLT ele ainda precisa entregar a Previdência e a Assistência Social.

Um dos principais alvos de Temer são os servidores federais, por isso ele encaminhou, em dezembro de 2017, a Medida Provisória 808/17 que reduzia nosso salário líquido, aumentando o desconto previdenciário de 11% para 14%, e congelando nossos salários até 2019. Até aqui a nossa resistência em conjunto com os demais trabalhadores impôs derrotas ao governo Temer, derrubamos, por meio da luta e da via judicial, a MP 808, e dificultamos que o governo consiga os votos necessários para aprovação da Reforma da Previdência (304 deputados), mas ainda não acabou.

O impopular Temer insiste em tramar contra os trabalhadores, desta vez colocando a nefasta Reforma da Previdência em votação na Câmara logo após o carnaval, para aproveitar a dispersão social do povo brasileiro neste importante acontecimento da cultura do nosso país. Para Temer e seus aliados aprovar esta reforma previdenciária é decisiva, pois ela representa o último suspiro do seu moribundo governo ilegítimo, que segue a bancarrota, ameaçado pelo acentuado aumento do desemprego e pelas previsões eleitorais, que coloca Lula na liderança expressiva contra qualquer um dos seus sucessores, mesmo sendo injustamente condenado em segunda instância.

Diante disto tudo, é urgente que lutemos em defesa de nossa aposentadoria e da Previdência Social agora neste mês de fevereiro. É crucial nestes próximos dias que todos os professores da UFRB se empenhem em denunciar a absurda Reforma da Previdência que só visa precarizar a aposentadoria dos trabalhadores e favorecer os interesses dos setores rentistas. Nas atividades cotidianas junto aos estudantes e demais setores da população do Recôncavo precisamos mostrar que o governo Temer mente sobre a Reforma da Previdência, e que é necessário pressionar os deputados federais, na linha que SE VOTAR NA REFORMA, NÃO VOLTA NAS URNAS.

 

É verdade que necessitamos de uma Reforma da Previdência, mas uma reforma que garanta aposentadoria e assegure uma assistência social digna aos trabalhadores, o que só é possível de ser feito por um governo legitimamente eleito e por uma assembleia constituinte soberana.

Nos próximos dias a APUR apresentará o calendário de atividades de combate à Reforma da Previdência no Recôncavo, conto com sua participação.  TODA FORÇA PARA BARRAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA DE TEMER!