julho 5, 2019

ASSEMBLEIA DA APUR APONTA NECESSIDADE DA CONTINUIDADE DAS MOBILIZAÇÕES

Em assembleia nesta quinta-feira (4), no Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias Aplicadas (CECULT), os/as docentes presentes apontaram a necessidade do foratalecimento das mobilizações contra a agenda de retrocessos do governo Bolsonaro, em especial a reforma da previdência e os ataques às universidades públicas.

O presidente da APUR,  David Teixeira, começou as falas colocando que consequências nefastas podem ocorrer caso a reforma da previdência seja aprovada, reafirmando a posição da diretoria da APUR de ser contrária à reforma da previdência. Sobre os cortes nas universidades, David afirmou não haver mudança positiva.

José Santana, tesoureiro da APUR, fez algumas ponderações sobre o movimento sindical, e defendeu que apenas uma mobilização muito forte pode reverter a situação de massacre que os servidores públicos estão enfrentando. Para o professor Pedro Amorim, é importante que se promova ações nos centros de ensino da UFRB e que se trabalhe com a opinião pública, para que ela olhe a universidade de outra forma.

Após discussão sobre os rumos da UFRB, a assembleia reconheceu a urgência de exigir ao MEC a nomeação e posse da prof. Georgina Gonçalves, escolhida na consulta à comunidade e eleita no CONSUNI, para que já possa ser traçado os novos desafios da UNIVERSIDADE.

O professor Antonio Eduardo Oliveira fez uma breve avaliação do governo, afirmando que o presidente não conseguiu criar uma estabilidade para governar, principalmente com as revelações do The Intercept, que deixa ainda mais evidente a maneira fraudulenta que Bolsonaro foi eleito, se fazendo necessário levantar a bandeira Fora Bolsonaro.

Pensando mais especificamente no movimento em torno da reforma da previdência, a professora Juliana Barros observou que existem parlamentares e centrais sindicais que não colocam um posicionamento firme em relação à reforma da previdência.

Além do importante debate sobre a conjuntura política, a assembleia aprovou os nomes dos professores Orahcio Felício de Sousa como delegado e do professor Antonio Eduardo Alves de Oliveira como obsevador e suplente de delegado no 64º CONAD. A assembleia ainda aprovou os relatórios do Conselho Fiscal das contas da APUR do período de 2015 até 2018. O último ponto de discussão foi a minuta de Resolução CONSUNI sobre a Licença Capacitação, sendo aprovado o encaminhamento da minuta para todos/as docentes, para que possam apreciá-la e fazer observações.