Plano de Gestão

A chapa APUR PELA BASE E DE LUTA apresenta-se a você para construir com xs docentes a organização da categoria docente frente aos enfrentamentos postos pela atual crise política do país.

O golpe em curso apresenta efeitos deletérios para as condições de trabalhar e construir a UFRB, afetando diretamente nossas vidas – direitos, condições para formação e participação em fóruns de produção intelectual, material de trabalho, financiamento de pesquisa e extensão, inserção de discentes na vida da universidade e nossos projetos, dentre outros. O retrocesso nas políticas sociais do país, na Educação e Saúde pública impacta a universidade, além de afetar o espaço público e inserção dos mais diversos coletivos nas definições sobre as demandas públicas.

Estamos à disposição da categoria para construir a nossa representação sindical, fortalecer os espaços de luta definidos pela nossa organização e lutar em defesa da UFRB, dos direitos e conquistas históricas dos trabalhadores.

Queremos ampliar e diversificar as estratégias de ação para que os mais diferentes sujeitos sejam incluídos na luta sindical, a partir de táticas combinadas e criativas que incidam sobre a crise, afirmativamente.

Seguimos o trabalho realizado pelas direções anteriores que nos deixou um legado de conquistas: Carga Horária mínima de 8 h e máxima de 12h; Pagamento do auxílio de insalubridade; Pagamento das Gratificações de Cursos e Concursos; Concessão das férias para os professores em licença para aperfeiçoamento/capacitação, entre outros, e experiências variadas de fazer a luta sindical pela base enfrentando os desafios da multicampia.

Tivemos um aumento significativo e crescente de filiados, o que aumenta também a nossa responsabilidade de estruturar um sindicato adequado aos novos desafios, profissionalizando cada vez mais a sua atuação política. Estamos conscientes das duras lutas que virão, principalmente para assegurar os direitos já conquistados, combater os cortes ao orçamento, enfrentar a precarização das condições de trabalho, a defesa da democracia, e manter a liberdade de organização sindical. Assim, a defesa dos interesses da categoria deve aliar-se às lutas da maioria da classe trabalhadora, que agora se unifica pelo “FORA TEMER, NENHUM DIREITO A MENOS”!

Nossa chapa reúne-se por meio de um projeto explícito de defesa dos interesses por melhores condições de trabalho e ensino na UFRB, aliado à radical ampliação de fóruns de base e fortalecimento da multicampia na representação.

Continuaremos a construção do protagonismo da APUR no cenário local e a crítica às posturas sectárias e descontextualizadas da direção do ANDES nos últimos anos. Queremos um sindicato nacional forte e preparado para a crise, com posições assertivas na defesa da democracia e definidas quando os direitos dxs docentes estão em ameaça.

Reconhecemos os desafios para a próxima direção da APUR, e por isso convidamos a todxs docentes para participar deste processo que acontece num momento turbulento da política nacional, por isso precisaremos fortalecer as lutas:

• Em defesa da educação e dos serviços públicos, o que exige a luta contra a PEC 55, que, entre outras coisas, visa congelar nossos salários;
• Em defesa da previdência e das aposentadorias, por isso precisamos combater a contrarreforma da previdência, que exigirá maior tempo de contribuição e maior desconto mensal para o INSS nos nossos salários;
• Em defesa dos direitos trabalhistas, defesa da CLT, nenhuma flexibilização, não à terceirização;
• Em defesa do uso das riquezas nacionais em benefício do povo, rechaçando a entrega do Pré-Sal às multinacionais.

Convidamos todos para conhecer nosso programa, e pedimos seu voto nestas eleições que escolherá a direção que conduzirá nosso sindicato no período de 2017- 2018.

PRINCÍPIOS GERAIS
• Autonomia e independência política total e irrestrita;
• Luta pela universidade pública de excelência, gratuita, laica, de qualidade e socialmente referenciada;
• Defesa incondicional da existência e qualificação da nossa universidade;
• Defesa dos princípios de diversidade e políticas afirmativas que norteiam a existência de nossa universidade;
• Defesa da categoria docente nas diferentes instâncias e espaços;
• Valorização das instâncias deliberativas e respeito ao regimento da APUR.
DESAFIOS
• Fortalecer as representações sindicais em todos os Centros de Ensino;
• Criar mecanismos diferenciados de comunicação sindical, por meio de um coletivo de comunicação, com o intuito de estreitar os contatos da direção com os filiados;
• Atuar no ANDES construindo alternativas que fortaleça o sindicato nacional, e que o reaproxime das lutas do conjunto da classe trabalhadora;
• Desenvolver uma política financeira que possibilite o funcionamento cada vez melhor do sindicato;
• Fortalecer a unidade com os demais trabalhadores e sua lutas, por isso defendemos a filiação da APUR e do ANDES-SN na CUT, para que possamos intervir na política da maior organização de trabalhadores do país;
• Intensificar as ações multicampi e o uso de recursos virtuais e interativos para ações formativas do sindicato;
• Combater os mecanismos nocivos do labor acadêmico que impactam na saúde dos docentes;
• Acompanhar criticamente a expansão da UFRB garantindo condições adequadas para o trabalho docente;
• Promover eventos, debates e seminários formativos;

AÇÕES IMEDIATAS

• Viabilizar o desconto das contribuições sindicais via folha de pagamento;
• Modernizar o site da APUR e a intervenção nas redes sociais;
• Realização de assembleias de caráter itinerante;
• Pressionar a administração central da UFRB pelo cumprimento da pauta docente negociada na greve de 2015;
• Organizar um acompanhamento especial para aposentados na APUR;
• Ampliar o atendimento jurídico da APUR;
• Articular ações e iniciativas conjuntas com os movimentos sociais e com as lutas populares na Bahia e no Brasil;
• Cobrar, as instâncias superiores, o início da Estatuinte livre e democrática na UFRB;
• Defender e exigir as condições necessárias para o funcionamento e implantação dos campi de Santo Amaro e Feira de Santana.