DOCENTES DO CAHL AVALIAM NÃO SER O MOMENTO DE FLEXIBILIZAÇÃO DAS ATIVIDADES

DOCENTES DO CAHL AVALIAM NÃO SER O MOMENTO DE FLEXIBILIZAÇÃO DAS ATIVIDADES

Em reunião nessa quarta-feira (28), docentes do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) participaram de uma Reunião Sindical para discutir a proposta apresentada pela reitoria da UFRB de flexibilização das atividades no semestre acadêmico 2021.1, saindo de atividades totalmente remotas para híbridas.

Com o objetivo de produzir uma posição mais madura do CAHL, que depois será levada à assembleia docente da APUR, a reunião refletiu principalmente sobre as condições concretas que a universidade tem de voltar com algumas atividades presenciais com segurança, sem oferecer riscos a professores e alunos.

Pensando nessas condições concretas, as falas chamaram atenção para as diferenças entre os centros de ensino da UFRB. O CAHL, segundo tais falas, já tem estrutura complicada mesmo em tempos normais, o que fica ainda mais complicado no momento da pandemia, em que se tem que obedecer a uma serie de protocolos de biossegurança, que a parte arquitetônica do prédio não ajudaria.

Outro ponto bastante discutido foi o trânsito de alunos e professores, a forma como se deslocariam para Cachoeira. Além de não ser possível garantir protocolos nos meios de transportes, muitos estudantes utilizam transportes alternativos; é importante saber como está a taxa de transmissão nos municípios de onde estão vindo esses discentes e docentes.

As falas também questionaram quais seriam as atividades excepcionais, que demandariam um retorno presencial, bem como se a UFRB teria condições financeiras para adequar a universidade (todos os seus centros) para um retorno seguro, pois se trata de um momento delicado, sendo necessário apontar o que existe e a capacidade de executar o protocolo de biossegurança.

Após uma rica discussão sobre a questão, os/as docentes presentes encaminharam não entenderem que seja o momento adequado para a flexibilização das atividades.