NOVA DIRETORIA DA APUR TOMA POSSE E JÁ FALA DAS LUTAS QUE VIRÃO

NOVA DIRETORIA DA APUR TOMA POSSE E JÁ FALA DAS LUTAS QUE VIRÃO

Em assembleia nesta sexta-feira (14), tomou posse a nova diretoria da Associação dos Professores Universitários do Recôncavo (APUR), eleita no dia 27 de abril, para o biênio 2021-2023. Além da nova diretoria executiva, também tomaram posse os representantes sindicais nos centros.

O professor David Teixeira, que deixa a presidência da APUR, agradeceu a grande participação dos/as filiados/as no processo eleitoral, que foi um dos mais participativos, e afirmou que uma nova diretoria no momento atual dará muita força para as lutas que virão. Falou da mistura de saudade e felicidade que era estar passando a direção do sindicato e, por fim, desejou à nova diretoria uma boa disposição na luta, se colocando à disposição para ajudar na transição e nas lutas futuras.

O novo presidente da APUR, professor José Arlen Matos, iniciou sua fala reconhecendo o legado construído pelos filiados da APUR até hoje, em especial às diretorias anteriores, e afirmou estar assumindo também um princípio de suma importância, que é o princípio de construção e respeito às decisões tomadas pela base: “ao mesmo tempo, reconhecendo a necessidade de ampliarmos ainda mais a participação no nosso sindicato, porque só assim seremos ainda mais fortes, enfrentaremos as lutas que estão por vir”, completou o professor.

O professor José Arlen ainda fez referência à situação complicada que o Brasil vive, quando disse que entende que o momento é dramático para a classe trabalhadora, onde mais de 100 milhões de brasileiros não reúnem as condições mínimas alimentares: “estamos vivenciando um verdadeiro genocídio da nossa população, associado à precarização crescente das condições de trabalho. Não há outra saída para a classe trabalhadora se não lutar por condições melhores de trabalho e melhora de vida. Isso só será possível com a construção da mais ampla unidade. É com esse espírito que a atual diretoria assume esse desafio”, defendeu José Arlen.

Assim como o professor José Arlen, a professora Renata Gomes, vice-presidente da APUR, refletiu sobre a situação atual do país, e tem consciência de que a nova diretoria tem muitos desafios pela frente. A professora mostrou preocupação com a pandemia da Covid-19, e, segundo sua opinião, “só existe saída coletiva para essa pandemia. Temos que tentar recuperar a coletividade”.

Além dos filiados e filiadas da APUR, a assembleia de posse da nova diretoria contou com a presença de convidados externos: João Gabriel Lopes, assessoria jurídica da APUR; Samuel Almeida, presidente da APLB de Amargosa; Elielson Aquino, representante local da ASSUFBA e Rivânia Moura, presidente do ANDES-SN.

A presidente do ANDES-SN também saudou a nova diretoria, colocando que a posse tem um significado importante no contexto atual de muitos ataques e fortes pressões contra os movimentos sindical e social. Rivânia Moura ainda complementou sua descrição das dificuldades enfrentadas pela classe trabalhadora descrevendo o atual governo: “Um governo que tem uma política econômica extremamente regressiva, de extrema direita, reacionário, que põe a baixo várias pautas e conquistas da classe trabalhadora e, além disso, é um governo antidemocrático. Um período que vai exigir muito de nossas lutas, que vai exigir muito de nossas sessões sindicais.”.

Um ponto em comum em todas as falas e até mesmo no chat durante a assembleia foi a lembrança ao professor Antonio Eduardo Alves de Oliveira, carinhosamente chamado de Eduardinho, que também fazia parte da diretoria que sai hoje, e faleceu em dezembro do ano passado. Com muito respeito, admiração e saudade, os presentes falaram do legado deixado por ele na luta sindical.

A diretoria empossada é composta por: José Arlen Beltrão de Matos (presidente); Renata Correia Lima Ferreira Gomes (vice-presidente); Orahcio Felício de Sousa (secretário); Sérgio Anunciação Rocha (suplente de secretário); Givanildo Bezerra de Oliveira (tesoureiro) Leila de Lourdes Longo (vice de tesoureiro); Djenane Brasil da Conceição (diretora executiva) e Heleni Duarte Dantas de Ávila (suplente da diretora executiva).

Já os representantes sindicais nos centros: Jorge Luiz Cunha Cardoso Filho e Ivana Tavares Muricy (CAHL); Talita Lopes Honorato e Robson Bahia Cerqueira (CCAAB); Pedro Amorim de Oliveira Filho e Juliana Neves Barros (CECULT) e Clara Lima de Oliveira e Márcia Luzia Cardoso Neves (CFP).