julho 31, 2019

ORÇAMENTO DA EDUCAÇÃO SOFRE NOVO CORTE

Na última semana, o governo Bolsonaro (PSL) anunciou mais um corte na educação em 2019. Segundo foi anunciado, o Ministério da Educação (MEC) terá menos de R$348 milhões para gastar neste ano. Não podemos esquecer que essa onda de cortes na educação não é novidade, no mês de maio, por exemplo, vários manifestantes foram às ruas contra os cortes daquele período.

No total, estima-se que, só em 2019, a educação sofreu um bloqueio de mais ou menos R$6,1 bilhões, o que significa quase 25% do orçamento para o ano, se tornando o maior corte dentre os Ministérios.

Enquanto as universidades seguem sem sabe como completar o ano do ponto de vista orçamentário, o governo, mais uma vez, faz um novo corte, o que aumenta a preocupação com os rumos da educação brasileira, em especial com o funcionamento das universidades públicas federais.

O presidente da APUR, professor David Teixeira, vê esse novo corte como um absurdo, ainda mais diante de tantos ataques à educação brasileira por parte do governo federal: “Ele insiste em sangrar as contas da educação, enquanto investe na privatização de setores estratégicos do país, como a venda da BR, e no ataque à soberania nacional”, afirmou o professor.

O professor ainda colocou que o governo segue uma longa linha de cortar nos setores estratégicos, em especial na educação. “O presidente da república segue afrontado os direitos democráticos e atacando a educação brasileira desde o início de seu mandato. Isso exige de todos os defensores da educação pública brasileira e da democracia uma resposta, por isso a importância, inclusive, de fortalecer a Greve Nacional da Educação, chamada para o dia 13 de agosto”, defendeu David.