novembro 30, 2017

QUEM VOTAR NA REFORMA DA PREVIDÊNCIA NÃO VOLTA NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES!

O governo golpista de Temer (PMDB/PSDB/DEM) está encaminhando mais um golpe contra os trabalhadores e os mais pobres. Agora, ele quer acabar com a nossa aposentadoria. 97% dos brasileiros reprovam este governo que, com pressa, quer aprovar uma reforma para atacar a aposentadoria e as pensões dos trabalhadores. Para isso, ele resolveu gastar o dinheiro público para comprar os votos dos deputados federais que são contra o povo. Por isso devemos pressionar os deputados que pedem voto nas cidades do Recôncavo.

MENTIRA TEM PERNA CURTA! A CPI do Senado apontou, em outubro, que não existe Déficit da Previdência. O que existe é sonegação de pagamentos, só as empresas de deputados e senadores devem mais de 372 milhões de reais. Para se livrar do impeachment Temer perdoou 10 bilhões de reais de dívidas dos grandes fazendeiros com o INSS, por isso o governo Temer manipulou dados para enganar a população e esconder as dívidas das grandes empresas e do governo com o INSS. Para não mexer com os ricos que devem ao governo, Temer resolveu tirar dos pobres e dos servidores públicos.

O que eles querem mudar?

1. Aumento da idade mínima das mulheres para 62 anos – as mulheres terão que trabalhar mais dois anos e terão que ter no mínimo 15 anos de contribuição.

2. Fim da aposentadoria por tempo de contribuição – Por exemplo, um homem, com 55 anos de idade e 33 anos de contribuição, precisaria, com as regras atuais, só de mais dois anos. Para receber o benefício integral com a fórmula 85-95 – modalidade instituída no governo da presidenta eleita legitimamente, Dilma Rousseff – teria de trabalhar mais 3,5 anos. Já com a proposta de Temer, ele precisará trabalhar mais 10 anos.

3. Diminuir o valor das aposentadorias – a proposta de Temer vai diminuir o valor a ser pago aos trabalhadores em praticamente todas as faixas.

4. Servidor público – O tempo mínimo de contribuição para que os servidores tenham direito à aposentadoria será de 25 anos, com o valor correspondente a 70% da média salarial. As regras atuais possibilitam aos servidores públicos que entraram em 2012 o direito de receber até o valor integral de seu salário. Na proposta de Temer, para o servidor/a atingir o valor integral, que passará a ser o teto do INSS, de R$ 5.531,31 -, terá de contribuir por 40 anos.

5. Acabar com a pensão integral – não existirá mais a pensão integral do valor do benefício. Caso seja aprovada a Reforma de Temer, os pensionistas terão direito a receber 50% do valor integral, podendo ter acréscimo de 10% por filho dependente. Terá também restrições para poder acumular pensão e aposentadoria.