Viva a professora! Viva o professor!

Viva a professora! Viva o professor!

Os/as professores/as sempre estão presentes nas principais lutas empreendidas em defesa do nosso país e do nosso povo, e nesta pandemia não foi diferente. Enfrentamos todo esse desastre social humanitário que se desenvolve articulado ao crescimento do negacionismo, do obscurantismo, do recrudescimento a preconceitos de todo tipo, dos ataques à ciência, à universidade pública, aos serviços públicos e aos/às professores/as.

Se não bastasse, o governo Bolsonaro envida esforços para aprovar a reforma administrativa (PEC 32) que precariza os serviços públicos e as relações de trabalho dos atuais servidores. Além disso, temos que reagir ao corte de 92% dos recursos destinados a bolsas e apoio à pesquisa que praticamente bloqueia a produção científica brasileira, que já vive uma situação dramática.

Como diria Maiakóvski “Não estamos alegres, é certo, mas também por que razão haveríamos de ficar tristes?” Por que razão não comemoraríamos o dia do/a professor/a?

Com a ampliação de nossa luta e retomada às ruas, haveremos de superar tudo isso. E para tanto o/a professor/a é necessário/a. Aliás, é fundamental, pois nunca a sociedade precisou tanto do/a professor/a. Como combateremos as fake News, dentre outras coisas, se não com o trabalho diário de nossos/as professores/as? A produção e a socialização de conhecimentos científicos realizadas por professores/as não seriam medidas indispensáveis para conter o obscurantismo e o negacionismo? Seria possível em nosso país avançar na criação de vacinas e de medicamentos para as atuais e futuras doenças, na produção de alimentos de modo sustentável, inovar no campo das engenharias ou encontrar saídas para os diferentes e complexos problemas sociais, ou seja, avançar na produção da ciência e tecnologia, sem os/as professoras/es e os/as pesquisadores/as brasileiros/as?

Os/as professores/as da UFRB demonstram isto quando cotidianamente seguem empenhados em defender a nossa universidade, conquista do povo baiano, contra os diversos ataques e as tentativas de interditar a construção de uma universidade de excelência, plural e diversa no interior do nosso estado.

É certo que vivemos tempos difíceis. Mas é certo também que nossos/as professores/as são imprescindíveis. Temos muito orgulho por representar todos/as vocês! O dia 15 de outubro é sim um dia muito importante para nós, e nos faz lembrar o quanto é importante nos unirmos e mobilizarmos em defesa dos serviços públicos, da educação superior pública, gratuita e de qualidade, em defesa de UFRB.

Parabéns, Professora! Parabéns, Professor!
Fora Bolsonaro e seus generais!
Quem tem sindicato não está só!