GARANTIR A VONTADE POPULAR E AVANÇAR NAS REIVINDICAÇÕES!APUR E DEMAIS SINDICATOS ORGANIZAM CARAVANAS PARA A POSSE 1º DE JANEIRO

GARANTIR A VONTADE POPULAR E AVANÇAR NAS REIVINDICAÇÕES!APUR E DEMAIS SINDICATOS ORGANIZAM CARAVANAS PARA A POSSE 1º DE JANEIRO

Poucas horas depois do resultado eleitoral em 30 de outubro, que confirmou Lula como o próximo presidente do país, grupos bolsonaristas iniciaram bloqueios em rodovias exigindo intervenção militar, sob o argumento de uma inexistente fraude eleitoral. Associado a esse movimento, o Partido Liberal (PL) entrou com ação no TSE pedindo anulação do segundo turno da eleição presidencial. Apesar de rejeitada, a ação protocolada pelo PL serviu para alimentar as manifestações que, em determinado momento, ganharam contornos terroristas (incêndios, bombas e tiros). Tudo isso sob o apoio implícito das forças de segurança.

É verdade que as dimensões das manifestações frustraram as ambições dos golpistas, mas não deixam de promover pressão nas relações políticas, que nesse caso tendem a concessões à burguesia e a setores conservadores da sociedade brasileira.

Não só a democracia está sob risco, mas, principalmente, a vontade popular expressa no voto que derrotou o Governo Bolsonaro e sua política e elegeu Lula na expectativa de que o país tome outros rumos. Todo esse cenário demonstra que a luta dos/as trabalhadores/as não se encerrou nas eleições. As tarefas passam, primeiro, por garantir que os resultados da eleição sejam respeitados, dando posse ao novo presidente, e que o próximo governo, notadamente de coalizão (que por conseguinte será de disputa), atenda às reivindicações e anseios do povo. Pesquisa indica que, aproximadamente, 33 milhões de brasileiros/as passam fome, o programa farmácia popular praticamente não tem verba, os recursos para a merenda escolar não foram reajustados, o desemprego e a informalidade assombram muitas famílias e as universidades vêm sendo destruídas. O último corte na educação, literalmente, zerou as contas das universidades federais, dentre elas a UFRB, deixando-as sem recursos financeiros para honrar seus compromissos, inclusive bolsas destinadas aos/às estudantes. Como podemos ver a situação é grave e urgente. Na nossa avaliação, avaliação, o atendimento dessas demandas só será possível com a organização e a mobilização dos/as trabalhadores/as.

Diante desse contexto, acertadamente, sindicatos e movimentos sociais estão organizando caravanas para a posse Lula, para garantir o respeito ao voto popular e cobrar do governo que se inicia as reivindicações.

No caso da nossa categoria, as reivindicações emergenciais são: (1) recomposição imediata do orçamento das universidades; (2) reajuste salarial; (3) arquivamento da PEC 32/2020 (reforma administrativa de Bolsonaro-Guedes); (4) revogação das emendas constitucionais 103/19 (reforma da Previdência) e 95/16 (teto de gastos).

A APUR está em diálogo com entidades parceiras para garantir vagas para os/as docentes da UFRB. Os ônibus sairão dia 30/12 e retornarão dia 02/01. Caso algum/a colega tenha interesse, favor entrar em contato (75-9871-6597 zap) até dia 13/12.

Aos/às colegas que irão por conta própria, sugerimos participar das colunas organizadas pelo movimento docente.

Vamos levantar nossas bandeiras e defender a democracia.

Quem tem sindicato nunca está só.

Diretoria da APUR